Skip to content

Dica de Leitura: Sintaxe da Linguagem Visual

13 de fevereiro de 2011

É fato consumado que o nosso mundo é cada vez mais sentido visualmente, outdoors coloridos, placas, letreiros, cinema em 3d, revistas com layout arrojado e chamativo, fotos cada vez maiores em jornais, youtube, etc. E a fotografia não poderia estar gozando de amplo espaço e oportunidades como hoje onde até uma caneta possui uma câmera de 1 megapixel, por exemplo. Há escasso material técnico e rico em detalhes sobre fotografia e comunicação visual no Brasil (atual) e este livro supera as expectativas daqueles que não querem mais ler livros de como operar um nikon ou canon ou ainda, “fotografia de casamento como ganhar rios de dinheiro”.

O livro  ensina o alfabetismo visual sendo possível educar e treinar a nossa visão para compor, vizualizar mentalmente e construir uma mensagem visual. Embora o alfabetismo visual não seja uma metologia exata e lógica como o alfabetismo verbal, quanto mais o fotógrafo conhecer o seu conteúdo, melhor ele irá alinhar sua mensagem fotográfica; isso não serve apenas para fotojornalismo, profissinais que buscam nas imagens, o núcleo de construção de informação, mas também para fotografia artística.

Entre diversos assuntos e temas que o livro aborda estão: Equilíbrio, tensão, nivelamento e aguçamento, preferencia pelo âgulo inferior esquerdo, atração e agrupamento, positivo e negativo, o ponto, a linha, a forma, a direção, o tom, a cor, textura, movimento, dimensão, além de fazer um estudo sobre a anatomia da linguagem visual.

O livro é uma leitura densa e técnica, porém enriquecida e valiosa para revigorar o olhar fotográfico. Como já disse e comentei em diversos post´s deste blog, Não basta ter equipamento de ponta. controlar a luz, saber compor e entender todos os processos de uma fotografia desde sua concepção até seu tratamento é o caminho certo para realizar fotografias com excelência.

O livro nas americanas.com está a partir de R$41,00.

Agora com site

6 de outubro de 2010

Todo jornalista ou fotógrafo deve pelo menos ter um site, nem que ele funcione como uma espécie de cartão da visita. Estar na web (ter um http://www.seunome.com.br) faz muita diferença na hora de um possível cliente fechar algum trabalho. Por quê? Além de passar profissionalismo, as pessoas que por ventura tiverem interesse em adquirir seus serviços, poderão ver e analisar a qualidade do serviço antes de contratar. Uma coisa é você apresentar equipamento, cursos etc. Outra, é mostrar o resultado: a fotografia. É um portfólio de ampla proporção porque qualquer pessoa, de qualquer lugar pode acessar.

Criei o meu, http://www.danielzimmermann.com.br aqueles que desejarem acessar e acompanhar de perto o que ando fazendo, fique a vontade.

Abri um novo canal de comunicação com vocês: agora estou no formspring, quem tiver dúvidas sobre fotografia, algo em específico, pergunte-me! http://www.formspring.me/dazimmermann

7 dicas para retratos

21 de abril de 2010

1) Ao fotografar uma pessoa em um local no qual o fundo esteja muito claro ou haja muita luminosidade sobre ela, aproxime-se da pessoa e faça a medição da luz com o fotômetro no rosto dela, mantendo o ajuste indicado. Afaste-se e faça a foto. Isso fará com que a pessoa seja iluminada corretamente.

 

2) Ao fotografar sob a luz do sol, posicione-se com o sol às suas costas. Se estiver em contraluz, ajuste o flash para fazer o preenchimento do primeiro plano, evitando assim, um retrato escuro. Isso tambem vale para fotos de pessoas sob o sol do meio dia, que causa sombras acentuadas sob o rosto. O disparo do flash, como luz de preenchimento, suaviza ou mesmo elimina as sombras indesejadas da fotografia.

 

3) Para fotografar alguem e incluir um fundo amplo (seja ele uma paisagem ou um monumento), situe a pessoa bem próxima à câmera, e preferencialmente em algum canto do enquadramento para que ela não fique distante, nao fique perdida ou venha competir com o fundo. Nesses casos, utilizar o foto manual ao foco automatico pode ser bem mais interessante. Se desejar mais profundidade de campo, usar um diafragma mais fechado irá ajudar (como f11 ou f22). Se a intenção for desfocar o fundo, use uma abertura grande (tal como f1.8 ou 2.8).

 

4) Se for fazer closes, o foco deverá ser feito no rosto da pessoa. Foto de close com os olhos desfocados é uma foto mal concebida. Se usar flash e não houver alternativa, não use-o diretamente, e sim, rebata na parede branca ou teto. Um rebatedor aclopado ao flash também ajuda.

 

5) Em retratos de meio corpo ou closes, use sempre as objetivas meias-teles de 70 à 105 mm, preenchendo bem o quadro. Grande angulares ou 35mm tendem a distorcer formas e teles acima de 135mm causam o achatamento da perspectiva da imagem.

 

6) Para retratos em ambientes fechados e pouco iluminados, selecione uma velocidade lenta de disparo, de forma que você possa segurar a câmera na mão sem treme-la e ajuste a velocidade de disparo do flash para esta velocidade 1/15 – 1/30. Assim a foto terá um pouco da iluminação ambiente e ficará boa mesmo com a velocidade lenta.

 

7) O enquandramento vertical, com corte de meio-corpo é a melhor opção quando se fotografa uma única pessoa. Evite o enquadramento horizontal. Nas fotos de meio corpo, o enquadramento começa um pouco acima da linha da cintura. Barriga e antebraços não devem aparecer. Melhor é enquadrar a pessoa com o corpo virado para um dos lados, mas com o rosto voltado para a câmera.

Pesquise imagens feitas com lentes e cameras facilmente

10 de abril de 2010

Fiz a aquisição de uma Nikon D90 que deve chegar terça-feira. E o que você tem haver com isso? Bem, é uma dica que vou compartilhar: antes de comprar equipamento fotográfico, quando não possuo alguém que o tenha por perto para testar, faço uma extensa pesquisa na internet sobre a maquina fotográfica em sites como o www.dpreview.com e no site do  Ken Rockwell http://www.kenrockwell.com/ ; em foruns de fotografia tais como www.digiforum.com.br e www.mundofotografico.com.br. O flickr.com também é uma excelente fonte de pesquisa e dá para encontrar boas opiniões nos grupos de equipamentos, lentes e flashes, como exemplo, nikon, canon ou em determinada lente.

Há um site em especial que encontrei e achei fantástico e ajudou a entender melhor o upgrade de uma D40 para uma D90. Claro, você com certeza vai me dizer: “obvio que há um ganho significativo de qualidade e corpo, nem precisa pesquisar”. Sim, eu sei, mas queria tentar qualificar o quanto seria essa melhoria. Comparando também uma imagem da D90 com a mesma lente em relação a D40 com as mesmas condiçoes de clique (iso, abertura, velocidade…) e image

 

 

 

 

 

 

Encontrei o site http://www.pixel-peeper.com Ele trabalha em conjunto com o Flickr (as imagens pesquisadas são dos usuários no flickr), e há um campo na qual você pode escolher qual foto você deseja ver de acordo com equipamento, exif desejado, lente e outros detalhes.

A maioria das fotos é possível baixar em alta resolução. Vale a pena como consulta e economiza um tempo incrível na hora de pesquisar sobre o assunto.

Quantos cliques sua máquina pode atingir?

3 de abril de 2010

Encontrei um site extremamente útil para aqueles que desejam saber quantos cliques em média, determinado tipo de maquina digital pode atingir.

O grande barato deste site é que os proprios usuarios é que enviam as informações sobre seus equipamentos. Untitled-2 Há informações sobre diversas marcas e modelos de maquinas incluindo canon e nikon.

Acesse o site aqui

Descobri segundo a avaliação deles que a Nikon D40 tem uma vida média de 114 mil cliques e a D70 tem 52 mil e verifiquei que há alguns usuários entre 144 e 180 mil cliques!

vale a pena como fonte de pesquisa.

De volta?

11 de março de 2010

Dirigo este post a quem costuma visitar ou chega até aqui por meio de pesquisa. Está é a função do blog, um grande acervo de consulta sobre fotografia, mais especificamente, fotojornalismo.

Sei que as atualizações ficaram raras, mas me chama a atenção que é um blog muito acessado. Antes de mais nada, obrigado. E isso me motiva a novamente parar um pouco no ritmo frenético que tem sido meu trabalho e irei preparar um material bacana sobre uma dúvida que muitos fotógrafos se deparam:

Tenho dinheiro, e agora? Compro lente ou corpo?
Sei que cada caso é um caso. Há dinheiro, gosto, e oportunidades envolvidas no processo.

O proximo post deve sair neste sábado! Aguardem!

Estou no twitter: @danizimmermann

Fim das super-modelos?

27 de setembro de 2009

Mais um capítulo na novela das manipulações digitais em fotos de moda está acontecendo na Europa, mais precisamente na França. Que as grandes revistas de moda vendem um produto fantasioso com suas capas glamorosas, todo mundo já sabe. Acreditar que a imagem colocada em suas capas e páginas expressa a realidade é mostrar que o mundo ainda está cheio de pessoas ingênuas. Mulheres são literalmente esculpidas em programas de manipulação digital para vender ao mundo um padrão de beleza perfeito e irreal. A primeira página dessa controvérsia se iniciou também na França com a Revista ELLE publicando uma série de capas onde grandes nomes do cinema e do mundo POP apareceram sem maquiagem ou retoques digitais. Entre as modelos que toparam esse desafio encontramos Eva Herzigova, Sophie Marceau, Monica Bellucci, Karin Viard, Charlotte Rampling, Chiara Mastroianni, Ines de la Fressange e Anne Parillaud. A repercussão foi muito positiva e diversos fotógrafos e publicações ao redor do mundo deram seu apoio produzindo ensaios com o mesmo teor.

Agora a coisa parece que é um pouco mais séria e transcende a mera discussão artística criativa. Vários políticos franceses, liderados pela parlamentar Valerie Boyer, estão propondo um Projeto de Lei onde anúncios e capas de revista que possuam imagens de pessoas que foram adulteradas pelo uso de ferramentas digitais, tenham um aviso alertando que aquilo que está sendo mostrado não é real. A ação está sendo encarada como sendo uma preocupação de Saúde Pública. Segundo Valerie Boyer essas mulheres são mostradas de forma deturpada e “Essas imagens podem fazer as pessoas acreditarem numa realidade que, com freqüência, não existe".

A preocupação dos parlamentares é que adolescentes confrontadas com esse ideal de beleza ilusório possam ser vítimas de problemas psicológicos e distúrbios alimentares. Fotos divulgadas pela imprensa, fotos de campanhas políticas, fotografia de arte e imagens em embalagens de produtos, além de comerciais onde foram usados recursos de manipulação das imagens devem vir acompanhadas da seguinte frase: “fotografia retocada para modificar a aparência física de uma pessoa". A lei ainda tem que ser votada, mas parece possuir um bom número de apoiadores dentro da esfera política francesa. Além da preocupação com a saúde pública, esse é o tipo de ação que pode render uns bons votos, então não ficaria surpreso se outros países europeus também seguissem essa linha.

photoshop

Bem, para alguns pode parecer um absurdo, mas é um assunto que deve ser avaliado. Não sou inocente de pensar que uma fotografia representa uma verdade concreta. Ela está carregada de ideologia e é, afinal de contas, um veículo de comunicação. Hoje podemos acompanhar todo o processo de produção de nossas fotografias, não dependendo mais da intervenção de laboratórios. Fotografamos e “revelamos” em nossos próprios computadores. Mas, com o avanço das técnicas digitais de manipulação estamos passando de um limite imposto pela própria ética. Eu ficaria mais feliz que essa mudança de mentalidade fosse fruto de reflexões e discussões no meio fotográfico e publicitário. Mas, ao que parece tudo vai ser regulamentado pela força da lei. 

Fonte: Fotocolagem