Skip to content

Fotografia e Fotojornalismo

13 de abril de 2009

 

Ontem, seguindo pela Rua João Pessoa rumo ao centro de Blumenau e devidamente munido da modesta Nikon D40, deparei com uma clássica cena:  trânsito lento em um horário incomum – sim, porque todo bom blumenauense que regularmente dirige sabe quais são os horários de maior tráfego de veículos – e previa algum tipo de obstáculo a frente. Dito e feito, caminhão do corpo de bombeiros, moto na calçada e logo veio o pensamento: “mais um espatifou-se no chão.”

A maquina estava do lado, e logo veio aquele impulso fotojornalístico (não fotográfico, acredito que existam sutis diferenças).

Como todo bom jornalista, dificuldades existem. Manobrar uma máquina digital e dirigir (tentar!) ao mesmo tempo não funciona tão bem, mas alguém tem que fazer o serviço.

Com este breve relato, este post irá mostrar como uma fotografia qualquer pode se tornar em uma fotografia fotojornalística.

Como qualquer produto jornalístico, esta fotografia está em seu estado “bruto”: 

DSC_4430 

Legal, temos uma fotografia, mas o que um jornalista faz? Bom, ele pode escrever sobre muitas coisas, relacionadas a acidentes de trânsito envolvendo motos. De artigos, notícias, opiniões à reportagens.

Se olharmos bem a fotografia, há os seguintes elementos que constituem o acidente: a  moto na calçada, o profissional do Samu, uma mulher observando e o caminhão do corpo de bombeiros. Isso é o suficiente de informação visual para o jornalista construir sua matéria a partir da fotografia.

Agora, esta foto ainda não dá para ser utilizada porque a composição da imagem esta carregada de informações desnecessárias para o jornalista. Olhem para o pegout branco, ele atrapalha porque está no primeiro plano fotográfico e é para onde vai o primeiro olhar do leitor, em seguida existe a calçada e o capim como ruído de comunicação, algo que não deveria aparecer na mensagem a ser construída e transmitida.

Ok, mas então a fotografia precisa ser reenquadrada. Depois de usar um editor gráfico, retirar os elementos, temos esta composição:

acidente 

Porque ainda o pegout aparece? O motivo é para não forçar um corte no caminhão. Ainda assim, com este reenquadramento o foco de atenção passa a ser o veículo do corpo de bombeiros, em seguida a moto na calçada.  O ideal mesmo era que o carro não estivesse nesta composição.

Com fotografia reenquadrada, o jornalista possui maior subsídio para escrever sua matéria. Ele pode começar, por exemplo, com o fato, no caso o acidente. O que aconteceu, quem se feriu, causas, etc.. e depois incrementar com depoimentos de fontes oficiais, moradores locais, guarda de transito, estatísticas de acidentes envolvendo motos e se, ainda for possível realizar uma análise sobre acidentes de transito envolvendo motocicletas em Blumenau.

Uma possível fotolegenda para esta fotografia pode ser algum dado estatístico de acidentes, cuidados que o motociclista deve ter ao conduzir (dependendo da causa do acidente), um breve relato do “onde, quando e porque” sobre o acidente, por exemplo.

Ao juntar estas possibilidades, um texto a legenda e a fotografia temos o fotojornalismo. “Ah, então para ser fotojornalismo é necessário agir como um jornalista e primar por informações que qualifiquem aquela imagem?” Sim e não, um bom jornalista sabe retirar informação da imagem que for apresentada a ele.  Na faculdade aprende-se que em fotojornalismo não existe um certo ou errado, existem recomendações, mas regras podem ser quebradas e novas sensações serem despertadas, e particularmente esse é o barato.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: